terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Clichê

Um olhar puro e ingênuo não sabe o que vê.
Não reconhece a beleza ou a sedução.

Meu olhar contamina o que vejo:
teu corpo impregnado de experiências minhas...

Por isso te desejo.

5 comentários:

Pedro Hfo disse...

Muito bom Curtt, já falava Fernando Pessoa, "o que vemos não é o que vemos, senão o que somos..."

Marcelino disse...

A ideia de o olhar contaminar a matéria vista é muito interessante: só há beleza e sedução no que vemos porque estamos predispostos a isso, estamos contaminados pelo desejo e contaminamos (ou assim o desejamos) o objeto do olhar. Isso faz tua primeira estrofe ser muito verdadeira, apesar de discutível:há olhares ingênuos, desprovidos de intenção? Talvez o do Caeiro de Pessoa, que me dizes?

Carolina disse...

Gostei muito.
Pequeno e simples, mas excelente.

Felicidades ;)
Cá http://caixa-a-a.blospot.com

Marcelino disse...

Há muita verdade em teu texto: é o nossso olhar que molda o mundo, a partir de nossos desejos e recalques. A beleza está em quem a vê.

Sofia A. disse...

que lindo tudo por aqui, Curtt-querido.